1992: O ano que o Flamengo de Zico foi o Flamengo de Junior



Salve Nação Rubro Negra!


Hoje, dia 29 de junho, um de nossos maiores ídolos completa 57 anos. Quem é ele? É Leovegildo Lins Gama Junior, o Junior, o Junior Capacete!

Tendo feito seu primeiro jogo com o Manto Sagrado em 06/11/19740 contra o Operário de Varzea Grande (MT), é o jogador que mais vezes vestiu a camisa Rubro Negra, em 874 jogos, marcando 77 gols.

Em 80, na década de ouro do Mengão, Junior era um coadjuvante de Zico, mas o futebol não poderia deixar um craque a sua altura encerrar a carreira sem ser a estrela principal de grande título para a Nação Rubro Negra.

Depois de ter sido vendido para o Torino da Itália na metade de 84, Junior retornaria em 89,logo depois da despedida de seu grande amigo e parceiro Zico, para realizar um sonho de seu filho: ver o pai jogando pelo Mengão no Maracanã. Mas nem Junior e seu filho imaginariam o quanto seria glorioso seu retorno ao Mais Querido.

Em 90 a inédita Copa do Brasil e a classificação para a Libertadores de 91. Em 91 um estadual contra o Fluminense com direito a golaço do Maestro. Mas 92 reservava a maior das emoções…

Salários atrasados, time mesclado entre jogadores experientes e jovens revelações da base, uma boa primeira fase terminada no 4º lugar. Mesmo assim o time encarava a desconfiança da torcida, que via Vasco e Botafogo em melhor fase e pintados como favoritos ao titulo.

Na segunda fase veio a demonstração de que era pra ser o ano de Junior a frente do Flamengo: Na ultima rodada o Mengão jogaria contra o Santos no Maracanã precisando da vitória, e assim foi feito: 3 a 1. Mas a façanha era torcer para o maior rival Vasco vencer o São Paulo em São Januario. Vendo que o Mengão estava consolidando a vitória no Maracanã, a torcida do rival passava o jogo inteiro pedindo para o time entregar o jogo e assim eliminar o Rubro Negro. Mas os Deuses do futebol não permitiriam isso com o Maestro, e o nosso vice venceu por 3 a 0.

Era chegada a final, e contra um rival carioca: o mesmo Botafogo que em 89 quebrou o jejum de títulos logo no ano de despedida do nosso Zico.

Mais uma vez a imprensa e o público em geral davam o Flamengo como zebra, já que seu rival havia sido um dos times de melhor campanha durante todo o campeonato e contava com jogadores em grande fase, como Carlos Alberto Dias, Valdeir e o goleiro Ricardo Cruz, alem do experiente Renato Gaucho.

No primeiro jogo, um lance ja mostrava quem seria a estrela da decisão: o Maestro aplicaria dois dribles sensacionais em Renato. E quem seria o responsável pelo primeiro gol? Ele mesmo, Junior iniciava a festa da Nação, que ainda no primeiro tempo comemoraria o resultado de 3 a 0 e o Penta muito perto de chegar.


No segundo jogo, mais um presente: um golaço de falta do vovô garoto, que comemorava como uma criança ao ganhar seu primeiro brinquedo, e fazia a alegria de uma Nação pelo Brasil inteiro.

Assim o time do “velho” Junior, esquecido por todos durante o Brasileirão 92, era campeão e mostrava que favoritismo em futebol termina na hora que a bola rola, ainda mais quando a “zebra” se chama Flamengo!

Os Deuses do futebol jamais iriam deixar que um de seus maiores jogadores encerrasse a carreira sendo conhecido “apenas” como o parceiro do Zico no time de ouro do Mais Querido.

Parabens Junior, Capacete, Léo, Vovô-Garoto, Parabens Maestro!


Saudações Rubro Negras!
Anúncios

About @VMoizinho

By definition: Geek, arrogant, pretentious, selfish, annoying, non-social, tease, and in the opinion of many, gone... ...Apart from very humble, of course. 8-)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: